#CJSP / Notícias
/Socialização infantil: A importância da prática de esportes na vida de uma criança

Socialização infantil: A importância da prática de esportes na vida de uma criança

DDWB - Comunicação - 2 de setembro de 2019

O esporte pode ajudar seu filho a desenvolver habilidades de relacionamento para a vida toda. Veja como a prática esportiva favorece a socialização infantil!

A socialização infantil é o processo de adequada integração da criança com a sociedade e, em um âmbito mais estrito, com as comunidades nas quais ela transita: a família, a vizinhança, o grupo religioso e, claro, a própria escola. É importante que as crianças sejam capazes de se relacionar de maneira saudável e positiva, tanto com os adultos, quanto com outras crianças. Se houver um cuidado com a socialização infantil, seu filho vai colher ótimos frutos ao longo de toda a vida pessoal e profissional.

O que nem todos percebem é a importância da prática de esportes durante esse processo. Fica um aviso: se a criança não se envolve em atividades esportivas, ela perde muitas oportunidades de interação e integração. Que tal entender melhor a relação entre a práticas de esportes e a socialização? Neste artigo, iremos abordar os quatro pontos principais!

1. Posicionamento

Em todos os grupos dos quais uma pessoa participa, ela desempenha algum papel. Alguns dos papéis comuns são: o organizador, o motivador, o apaziguador, o realista, entre outros. É importante que a criança entenda quais são os papéis que ela pode desempenhar e como ela pode se posicionar para ocupá-los. Infelizmente, sempre existe alguma criança que não se posiciona em nenhum deles, seja por não se sentir à vontade ou por puro desinteresse, mas ela fica à margem dos demais.

Na prática de esportes, isso é possível, porque durante um jogo todos esses papéis estão presentes de maneira muito forte: alguém cria a estratégia, alguém anima a equipe, alguém acalma os ânimos exaltados, alguém mantém as expectativas do time dentro da realidade, e assim por diante. Além disso, a informalidade desse tipo de atividade tira um pouco do nervosismo e timidez que, em muitos casos, impedem que a criança se posicione. E, por ser uma brincadeira, a chance de que todos se envolvam é maior do que em uma atividade de sala.

Quando a criança estiver participando de um grupo da escola, ou, já adulto, dentro do seu local de trabalho, será muito mais fácil para ela assumir os papéis nos quais se identifica e se destacar dentro deles.

2. Colaboração

Colaboração é essencial nas atividades esportivas. O fato de que cada um desempenha um papel não significa que esses não trabalhem juntos – pelo contrário, eles se complementam na busca de um objetivo comum.

Algumas pessoas têm um traço individualista muito forte, desde jovens. Nesse caso, a prática de esportes coletivos é essencial para a socialização infantil e para que, quando adultos, elas consigam controlar esse traço. Afinal, em uma partida de futebol ou vôlei, ninguém pode ganhar sozinho, por melhor que seja.

A prática esportiva apresenta-se como o momento ideal para ensinar à criança habilidades essenciais para a socialização, como a capacidade de fazer concessões e de reconhecer as qualidades dos outros.

3. Competitividade

Se, por um lado, colaboração é indispensável na convivência em sociedade, por outro, a competitividade também é importante. O grande problema é que nem sempre ela é desenvolvida de uma forma saudável. Precisa estar sempre acompanhada de valores essenciais, como ética e respeito.

A prática esportiva é o momento ideal para ensinar à criança que, mesmo havendo competição, fazer o colega tropeçar ou mentir para ganhar não é o caminho certo. Levando essa percepção para a vida adulta, seu filho será capaz de fazer o seu melhor para ter sucesso, sem prejudicar o relacionamento com as outras pessoas.

4. Frustração

Quem pratica esportes está sujeito a, eventualmente, perder. A maneira como a criança lida com essa situação influencia diretamente sua capacidade de persistir, crescer e progredir. Crianças que não sabem como controlar a frustração não conseguem aprender com os erros, e podem desistir após a primeira tentativa.

A prática de esportes junto com os colegas cria um espaço para a criança entender que a perda é natural e, em muitos casos, pode ser encarada como uma oportunidade. Afinal de contas, ela pode jogar de novo e, na próxima tentativa, talvez tenha aprendido algo que lhe ajude a ganhar.

Apesar dos esportes oferecerem grandes benefícios para a socialização infantil, é preciso estar atento à maneira como essa prática é conduzida pelos adultos, sejam pais ou professores: que não sejam excessivamente exigentes em relação ao desempenho e aos resultados das crianças, criando uma pressão ainda maior sobre elas.

× WhatsApp
X